Lanzan campaña comunicacional para la prevención del VIH/SIDA en el Maule

Lanzan campaña comunicacional para la prevención del VIH/SIDA en el Maule

Campaña impulsada por la Seremi de Salud contó con un amplio respaldo de Autoridades y de organizaciones de la Sociedad Civil, quienes coincidieron en la importancia de la utilización del preservativo y el acceso al Test de Detección del VIH (Test de Elisa)
redlacvo

En la Universidad Autónoma de Talca se desarrolló el lanzamiento de la campaña comunicacional social VIH/SIDA 2015, bajo el slogan “Vivamos como vivamos #siemprecondón”, enfocada en la prevención y asumiendo la diversidad sexual presente un nuestra sociedad, a través de un uso correcto y responsable del condón. Además en la ocasión, la Seremi de Salud, Valeria Ortiz, hizo entrega de cinco mil preservativos al Instituto Nacional de la Juventud (INJUV), para su distribución en el Maule.

Ortiz indicó que “a nivel país estimamos que hay  cerca de 45 mil personas que están con VIH/SIDA pero hay 31 mil notificados, es una realidad nacional presente actualmente, como región no estamos muy lejos, el año 2014 fallecieron 12 personas a causa de SIDA, tenemos además una taza de contagio de 6,7% por cien mil habitantes eso quiere decir que hay 67 personas por la cantidad total de habitantes, son cifras bastante preocupantes, este año hemos querido como Ministerio de Salud, abordar la prevención del VIH, asociada a la inclusión y la no discriminación que son factores que contribuyen a que esa población vulnerable esté más expuesta a contraer VIH/SIDA”.

redlacvo 1

Por su parte Michael Díaz, secretario ejecutivo de la coordinadora nacional de atención en VIH/SIDA, agradeció la campaña de inclusión que está impulsando el Ministerio de Salud. “Hay que celebrar que es una inclusión histórica, que la diversidad sexual en su amplia mayoría, siempre uno ve parejas homosexuales pero nunca transexualidad, creo que eso es algo histórico en nuestro país, la población transexual desafortunadamente es uno de los grupos o poblaciones que se encuentra más afectado por el VIH, cerca del 30%, por lo tanto,  se marca un hito de no discriminación y también de un trabajo asociativo entre las distintas organizaciones”.

Además, la Directora regional del INJUV, Irene Muñoz, mencionó “nos sumamos a esta campaña porque nosotros repartimos preservativo en nuestro Infocentro y en la dirección regional, en el año 2014, se entregaron 19 mil preservativos, esta campaña es muy fuerte, nuestro jóvenes son los más vulnerables, es una población que se encuentra en constante riesgo, es por eso que apoyamos y estamos comprometidos con esta causa, con salud difundiendo esta campaña “Siempre Condón”.

La epidemia del VIH continúa creciendo, afectando a poblaciones de mayor riesgo y vulnerabilidad, en Chile se concentra un 15% en hombres homosexuales (HSH) y un 30% en la población transgénera,  mientras que en población general es de 0.35%, ante esto el Minsal con esta campaña busca evitar especialmente que estas personas de mayor riesgo no adquieran VIH/SIDA u otras enfermedades de transmisión sexual. A nivel regional desde el año 1987 al 2012 se han notificado 899 casos, el 68% (613) están notificados como VIH y el 32% (286) como SIDA

TRADUZIDA PARA O PORTUGUÊS 

Lançamento de campanha de mídia para a prevenção do HIV / SIDA no Maule

Campanha pela Seremi Saúde recebeu amplo apoio das autoridades e organizações da sociedade civil, que concordaram sobre a importância do uso do preservativo e de acesso ao Teste de Triagem de HIV (teste Elisa)

Na Universidade Autônoma de Talca o lançamento da campanha de mídia social HIV / AIDS 2015 foi desenvolvido sob o lema “Vamos viver como vivemos # siemprecondón”, com foco na prevenção e tendo diversidade sexual apresenta uma sociedade, por meio do uso correto do preservativo e responsável. Também na ocasião, o Seremi Saúde, Valeria Ortiz, apresentou cinco mil preservativos para o Instituto Nacional de Juventude (INJUV) para distribuição no Maule.

Ortiz disse que “a nível do país estima que existam cerca de 45 mil pessoas estão vivendo com HIV / AIDS, mas existem 31 000 relatado, é uma realidade nacional hoje presente, como uma região que não estão longe, em 2014 matou 12 pessoas por causa de AIDS, e tomar uma xícara de propagação de 6,7% por cem mil habitantes que significa que existem 67 pessoas pelo número total de habitantes, são figuras bastante perturbadoras, este ano queria como o Ministério da Saúde para abordar a prevenção do HIV associado com a inclusão ea não-discriminação são fatores que contribuem para essa população vulnerável é mais propenso a contrair o HIV / AIDS. ”

Enquanto isso Michael Diaz, secretário-executivo do Coordenador Nacional da atenção em HIV / AIDS, congratulou-se com a campanha de inclusão é a condução do Ministério da Saúde. “Temos de concluir que é uma inclusão histórica, diversidade sexual em sua grande maioria, se você olhar para os casais homossexuais, mas nunca transexualidade, eu acho que é algo histórico em nosso país, a população transgênero é, infelizmente, um dos grupos ou populações é a mais afetada pelo HIV, cerca de 30%, portanto, uma marca marco da não discriminação e uma parceria de trabalho entre as diferentes organizações “.

Além disso, o diretor regional do INJUV, Irene Muñoz, disse que “nós aderir a esta campanha porque lidamos preservativo na nossa gestão Infocentre e regional, em 2014, 19 000 preservativos foram entregues, esta campanha é muito forte, o nosso jovem Eles são os mais vulneráveis, é uma população que está constantemente em risco, é por isso que apoiamos e estamos comprometidos com esta causa, espalhando campanha de saúde “Sempre Camisinha”.

A epidemia de HIV continua a crescer, afetando as populações de maior risco e vulnerabilidade no Chile está concentrado 15% em homens homossexuais (HSH) e 30% na população transgênero, enquanto que na população em geral é de 0,35%, antes de este Ministério da Saúde esta campanha visa evitar especialmente que essas pessoas adquirem mais arriscado HIV / AIDS ou outras doenças sexualmente transmissíveis. A nível regional 1987-2012 foram notificados 899 casos, 68% (613) são relatados como HIV e 32% (286) como a SIDA

Mortes por câncer serão praticamente eliminadas até 2050, acreditam cientistas

Mortes por câncer serão praticamente eliminadas até 2050, acreditam cientistas

05/02/2015 – 09H02/ ATUALIZADO 09H0202 / POR FERNANDO BUMBEERS

  (Foto: wikimedia commons )
(FOTO: WIKIMEDIA COMMONS )

Daqui 35 anos será difícil ouvir que alguém morreu de câncer. Cientistas acreditam que a doença pode acabar – ou pelo menos, diminuir bastante – até o meio do século. Segundouma pesquisa, realizada através da Universidade de Londres, em 2050 o câncer será totalmente evitável, principalmente pela mudança de hábitos da população e do avanço tecnológico da medicina.

14 milhões de pessoas são diagnosticadas com câncer a cada ano. 8 milhões não resistem a doença. Até 2030, o número crescerá de forma assustadora para 26 milhões de diagnósticos e 17 milhões de morte – aumento por conta de países emergentes e populosos, como a China. No entanto, no Reino Unido, a redução de mortes por câncer será de 40%.

Segundo o estudo, se o investimento em novos medicamentos for mantido durante as próximas décadas, a combinação de novos tratamentos com uma vida mais saudável poderá habilitar pessoas com câncer a viverem mais e de forma mais satisfatória. E isso pode até culminar na cura do câncer.

Vale ressaltar que o estudo garante que a conscientização humana será o mais importante para reduzir o número de mortes por câncer. A pesquisa aponta como principal fator para cura a antecipação do diagnóstico, que só ocorrerá por conta das pessoas se preocuparem mais com a saúde.

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude

Cientistas desenvolvem exame para detectar câncer em 1 hora usando vermes

Cientistas desenvolvem exame para detectar câncer em 1 hora usando vermes

13/02/2015 – 10H02/ ATUALIZADO 10H0202 / POR AGÊNCIA EFE

vermes como este podem ajudar a detectar o câncer (Foto: wikimedia commons)
VERMES COMO ESTE PODEM AJUDAR A DETECTAR O CÂNCER (FOTO: WIKIMEDIA COMMONS)

Amultinacional japonesa Hitachi e a Universidade de Kyushu desenvolveram um novo exame de baixo custo para detectar o câncer em uma hora a partir da reação apresentada por um tipo específico de verme ao entrar em contato com a urina dos pacientes.

A partir de um estudo, ambas as entidades determinaram que este tipo específico de nematóide ( que tem um comprimento aproximado de 1 milímetro) se sente atraído pelo cheiro da urina dos pacientes que desenvolveram a doença, segundo detalhou nesta sexta-feira o jornal econômico “Nikkei”.

A pesquisa que foi realizada com cerca de 300 pessoas obteve resultados precisos em mais de 90% dos casos.

Com o apoio dos pesquisadores da universidade japonesa, Hitachi espera poder comercializar para 2018 um dispositivo que seja capaz de medir a reação de um grupo destes vermes e sirva para detectar um câncer em sua fase inicial.

A máquina examinaria os movimentos de uma centena de nematóides ao ser expostos à urina de um paciente empregando as tecnologias de macrodados da Hitachi para a análise das imagens.

Cada exame levaria apenas uma hora e teria um custo aproximado de 100 ienes (US$ 0,84). O projeto tem baixo custo, em parte, porque este tipo de verme é encontrado facilmente na terra e, além disso, é fácil de criar, segundo explicaram ao jornal representantes da Hitachi.

Estes também indicaram que o dispositivo não seria capaz de detectar os diferentes tipos de câncer, por isso que caso o resultado do teste seja positivo, seriam precisos novos exames convencionais adicionais.

O plano da empresa, uma das mais importantes no setor médico no Japão, passa por lançar primeiro o dispositivo no país asiático e depois em outros mercados.

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.131 outros seguidores