Departamento de Aids divulga relatório de ações na gestão de Fábio Mesquita

Departamento de Aids divulga relatório de ações na gestão de Fábio Mesquita

Departamento de Aids divulga relatório de ações na gestão de Fábio Mesquita

27/05/2016 – 16h30

Há uma semana, o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, que anunciou ter pedido demissão do cargo nesta sexta-feira (27), enviou à imprensa um relatório de 44 páginas,  com a lista de todo o trabalho feito em sua gestão. Já na introdução, ele fez questão de dizer que aquele era o resultado de um esforço coletivo.

Diz o documento que a resposta brasileira às ISTs, HIV/aids e hepatites virais na gestão Fábio Mesquita foi estruturada em cinco pilares, com base nos direitos humanos. Um deles é a inovação, com o uso de novas tecnologias para diagnóstico, prevenção e tratamento. Outro é a evidência científica, com estudos e pesquisas de vanguarda, para incorporação à rede de atenção com eficácia, eficiência e efetividade.

Diálogo com todos os atores, de base comunitária, academia, estados e municípios, conselhos de classe, frentes parlamentares e outras instâncias colegiadas, atuação inserida no SUS e inserção internacional, visando a retomada do protagonismo da resposta brasileira ao HIV/aids, são os outros pilares citados no relatório.

As ações são ilustradas com gráficos, como o que mostra o número de pessoas que iniciaram o tratamento antirretroviral – ele passou de 46.943 em 2009 para 81.177, em 2015. Em 2013, eram 56.562 pessoas em tratamento. Comparado a 2012, o crescimento, foi de 67%.

O relatório traz ainda as ações na área das hepatites virais, com adoção de novas estratégias que culminaram em mudanças como o tratamento com o novo sofosbuvir com preço reduzido em mais de 90% em relação ao preço original, que tornava o remédio proibitivo.

Leia o relatório na íntegra, clicando aqui.

http://agenciaaids.com.br/

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s