IAS anuncia investimento de 1,5 milhões de libras em pesquisa de aids pediátrica

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IAS anuncia investimento de 1,5 milhões de libras em pesquisa de aids pediátrica

A aids pediátrica ainda é um desafio entre a comunidade científica. Há pouco investimento, pesquisas e medicamentos disponíveis para crianças que contraíram o HIV. “Apesar dos esforços de pesquisadores e ativistas em diminuir essa lacuna, apenas um terço das crianças vivendo com o vírus da aids recebem os antirretroviaris. E, dentre os que recebem medicamentos, a eficácia não é tão boa quanto em adultos, uma vez que a adesão desse grupo é mais baixa”, explicou Annette Sohn da TREAT Asia, um coletivo que trabalha para aumentar o acesso aos antirretroviarais na região da Ásia e do Pacifico.

Para diminuir essa lacuna a Sociedade Internacional de Aids (IAS) anunciou durante a 20ª Conferência Internacional de Aids um investimento adicional de 1,5 milhões de libras esterlinas para o CIPHER, uma iniciativa voltada para a pesquisa da aids pediátrica. O novo recurso é uma doação do ViiV Healthcare, uma empresa especilizada em HIV que nasceu da união GlaxoSmithKline e Pfizer. De acordo com Linda Gail Bekker, da IAS, esse dinheiro irá financiar uma pesquisa com 280 mil crianças e adolescentes vivendo ou expostos ao vírus HIV no mundo. “Essa é a maior pesquisa envolvendo esse publico no mundo. Nossos esforços estão voltados para três questões: a duração da primeira linha de tratamento em crianças e adolescentes, como se dá a transição do cuidado para a vida adulta e a criação de um banco de dados acessível a pesquisadores, políticos e patrocinadores”.

Marina Pecoraro de Melbourne (Australia)

A Agência de Notícias da Aids cobre a Conferência na Austrália com o apoio do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais e do Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo

 

FONTE : http://www.agenciaaids.com.br/

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s