Mística e espiritualidade – Incentivo ao Diagnóstico Precoce

SABADO, 17 DE AGOSTO     

07:30 hs               Café da manhã

08:30 hs               Mística e espiritualidade – Diocese

Mística e espiritualidade – Secretario nacional da Pastoral da AIDS – CNBB / Porto Alegre – Frei José Bernardi / Porto Alegre – RS

Mt 10,9-13 – Frei José Bernardi

São Mateus, 9

1. Jesus subiu numa barca, passou para a outra margem e chegou à sua cidade.

2. Nisso, levaram a ele um paralítico deitado numa cama. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho! Os seus pecados estão perdoados.”

3. Então alguns doutores da Lei pensaram: “Esse homem está blasfemando!”

4. Mas Jesus, conhecendo os pensamentos deles, disse: “Por que é que vocês pensam coisas más?

5. O que é mais fácil dizer: ‘Os seus pecados estão perdoados’; ou dizer: ‘Levante-se e ande’?

6. Pois bem, para que vocês saibam que o Filho do Homem tem poder na terra para perdoar pecados – então disse Jesus ao paralítico: Levante-se, pegue a sua cama e vá para a sua casa.”

7. O paralítico então se levantou, e foi para a sua casa.

8. Vendo isso, a multidão ficou com medo e louvou a Deus, por ter dado tal poder aos homens.

9. Saindo daí, Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e lhe disse: “Siga- me!” Ele se levantou, e seguiu a Jesus.

10. Estando Jesus à mesa em casa de Mateus, muitos cobradores de impostos e pecadores foram e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos.

11. Alguns fariseus viram isso, e perguntaram aos discípulos: “Por que o mestre de vocês come com os cobradores de impostos e os pecadores?”

12. Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “As pessoas que têm saúde não precisam de médico, mas só as que estão doentes.

13. Aprendam, pois, o que significa: ‘Eu quero a misericórdia e não o sacrifício’. Porque eu não vim para chamar justos, e sim pecadores.”

14. Então os discípulos de João se aproximaram de Jesus, e perguntaram: “Nós e os fariseus fazemos jejum. Por que os teus discípulos não fazem jejum?”

15. Jesus respondeu: “Vocês acham que os convidados de um casamento podem estar de luto, enquanto o noivo está com eles? Mas chegarão dias em que o noivo será tirado do meio deles. Aí então eles vão jejuar.

16. Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, porque o remendo repuxa o pano, e o rasgo fica maior ainda.

17. Também não se põe vinho novo em barris velhos, senão os barris se arrebentam, o vinho se derrama e os barris se perdem. Mas vinho novo se põe em barris novos e assim os dois se conservam.”

18. Enquanto Jesus dizia essas coisas para eles, um chefe se aproximou, ajoelhou-se diante de Jesus, e disse: “Minha filha acaba de morrer; mas vem, põe tua mão sobre ela, e ela viverá.”

19. Jesus levantou-se e o seguiu, junto com seus discípulos.

20. Nesse momento, chegou uma mulher que fazia doze anos vinha sofrendo de hemorragia. Ela foi por trás, e tocou a barra da roupa de Jesus,

21. porque pensava: “Ainda que eu toque só na roupa dele, ficarei curada.”

22. Jesus virou-se, e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! Sua fé curou você.” E, desde esse momento, a mulher ficou curada.

23. Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e uma multidão fazendo barulho. Então disse:

24. “Retirem-se, porque a menina não morreu. Ela está apenas dormindo.” As pessoas começaram a caçoar dele.

25. Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, e tomou a menina pela mão. Então a menina se levantou.

26. E essa notícia espalhou-se por toda aquela região.

27. Quando Jesus saiu dali, dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi.”

28. Jesus chegou em casa, e os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou: “Vocês acreditam que eu posso fazer isso?” Eles responderam: “Sim, Senhor.”

29. Então Jesus tocou os olhos deles, dizendo: “Que aconteça conforme vocês acreditaram.” E os olhos deles se abriram.

30. Então Jesus lhes ordenou: “Tomem cuidado para que ninguém fique sabendo.”

31. Mas eles saíram, e espalharam a notícia por toda aquela região.

32. Quando já tinham saído os dois cegos, levaram a Jesus um mudo que estava possuído pelo demônio.

33. Quando o demônio foi expulso, o mudo falou, e as multidões ficaram admiradas, e diziam: “Nunca se viu uma coisa assim em Israel.”

34. Mas os fariseus diziam: “É pelo príncipe dos demônios que ele expulsa os demônios.”

35. Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando a Boa Notícia do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.

36. Vendo as multidões, Jesus teve compaixão, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor.

37. Então Jesus disse a seus discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos!

38. Por isso, peçam ao dono da colheita que mande trabalhadores para a colheita.”
Leia mais em: http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-da-cnbb/sao-mateus/9/#ixzz2cEX8JKTh

10:00 hs               Intervalo e lanche

10:15 hs               Incentivo ao Diagnóstico Precoce – explicação sobre o que é o teste para HIV, mostrar os tipos de testes, dismistificar a doença e o HIV, importância do teste precocemente, efeitos do diagnóstico tardio, universalidade e direito ao teste.

Arquidiocese de Niterói – Ricardo do Nascimento

MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (3) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (5) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (8) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (11) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (13)

Sexta -0 feira 20:00 hs  Aspectos técnicos do HIV – história natural da Aids, dados epidemiológicos –

Dra. Fábia Lisboa de Souza, Coord. Programa DST/Aids Niterói; 

MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (14) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (15) MISTICA ESPIRITUALIDADE MANHÃ SABADO (16)Leitura orante da Bíblia,

RICARDO RICARDO (2) POSITIVO OU NEGATIVO RICARDO (3) VIVA BEM RICARDO (4) CHICO

HSITORIA E DEPOIMENTO DO CHICO – MORADOR DE CABO FRIO…

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s