Recomeço: 24 famílias do Vale do Cuiabá recebem imóveis construídos com a ajuda da iniciativa privada – São estas as respostas da sociedade civil organizada pode dar em suas necessidades,

RECOMEÇO: 24 FAMÍLIAS DO VALE DO CUIABÁ RECEBEM IMÓVEIS CONSTRUÍDOS COM A AJUDA DA INICIATIVA PRIVADA –

SÃO ESTAS AS RESPOSTAS DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA PODE DAR EM SUAS NECESSIDADES,

São estas as respostas da sociedade civil organizada pode dar em suas necessidades,

o governo apoiando sempre é mais rápido e pode ser mais eficiente,

isto aprendemos com o MOVIMENTO MUNDIAL DE LUTA CONTRA AIDS,

a sociedade civil precisou se organizar e exigir respostas a um desafio que mudou a humanidade, trouxe varias reflexões…

CONTROLE SOCIAL ( COMO FAZER ), DIREITOS HUMANOS, CIDADANIA, ESPIRITUALIDADE (FÉ E RELIGIOSIDADE )…

O GOVERNO BRASILEIRO PRONTAMENTE ATENDEU AS REIVINDICAÇÕES  POIS TINHA CONSCIÊNCIA QUE SOZINHO NÃO DARIA CONTA…

NÃO TERIA “PERNAS” PARA ATENDER A ESTA DEMANDA”….

CONSEGUIMOS O STATUS DE “MELHOR PROGRAMA MUNDIAL DE LUTA CONTRA AIDS – ASSISTÊNCIA E PREVENÇÃO”….

com muitas brigas e desentendimentos  MAS SEMPRE MANTENDO O DIALOGO…PREOCUPADOS EM CONSTRUIR…NÃO DESTRUIR NINGUÉM…SOMAR…UNIR ESFORÇOS EM UM MESMO IDEAL…

se as famílias e pessoas se acomodassem esperando as respostas dos governantes, a pandemia que se iniciava seria realmente uma tragedia…

e a sociedade civil deu resposta…foi pras ruas…”DEU LITERALMENTE A CARA PARA BATER”…

Isto é o que fazemos ao longo de mais de 20 anos de luta em favor da vida como bem maior, enfrentando desafios, exclusões e preconceitos…

OFERECER DIGNIDADE E RESPEITO A QUEM NOS PROCURA COM SUAS DORES

nem sempre somos compreendidos…mas seguimos em frente…acreditando ser uma missão a nós atribuída por Deus Pai, somos somente instrumentos nas mãos deste que acreditamos ser nosso guia…

que Deus continue a nos dar forças e luz para conduzir esta missão….

EQUIPE DO GRUPO ASSISTENCIAL SOS VIDA

Logo SOS Vida 2010

http://www.tribunadepetropolis3.hospedagemdesites.ws/Tribuna/index.php/cidade/432-recomeco-24-familias-do-vale-do-cuiaba-recebem-imoveis-construidos-com-a-ajuda-da-iniciativa-privada

Recomeço: 24 famílias do Vale do Cuiabá recebem imóveis construídos com a ajuda da iniciativa privada

Criado em Segunda, 20 Maio 2013 10:11
As casas foramconstruídas com recursos doados por empresários. Parte do terreno foi doado ao estado./Foto: Marco Oddone.

“Saímos do pesadelo direto para o sonho”. Com essas palavras, a confeiteira Marlene da Motta Aquino definiu a conquista da casa própria. Ela e sua família foram beneficiadas com uma das casas construídas pelo Instituto da Criança por meio do Projeto Nosso Cuiabá. Após dois anos de obras, 24 moradias foram entregues no início deste mês às vítimas da tragédia que atingiu a região, em janeiro de 2011. Construídas com ajuda da iniciativa privada, as casas foram as primeiras a ser entregues às vítimas da chuva, que estão há dois anos e quatro anos aguardando por um novo lar.

Marlene recebeu as chaves do imóvel no dia sete e a mudança está prevista para o fim deste mês. “Estou arrumando tudo com calma. Agora que tenho uma casa pra morar, que posso chamar de minha, posso arrumar aos poucos”, disse. Na casa de 70 metros quadrados (com três quartos, dois banheiros, sala e cozinha) Marlene vai morar com o marido, o filho, a nora e o neto, de nove anos. “Estou muito feliz de estar na casa nova”, contou o menino, que fez questão de mostrar a moradia para a equipe da Tribuna. “Agora nós podemos recomeçar”, comemorou.

Na tragédia, a família perdeu a casa, localizada próximo ao ponto final do Vale do Cuiabá. No local, contou o marido de Marlene, Wilson Aquino, outras 16 moradias foram levadas pela enxurrada. “Naquela noite estávamos em um sítio. Não tínhamos ideia do que estava acontecendo, até o dia amanhecer”, contou. Amigos e vizinhos da família morreram vítimas da chuva.

As tristes lembranças da noite de 11 de janeiro de 2011 também estão gravadas na mente e no coração da doméstica Glória Maria Rodrigues Cabral, de 63 anos. Beneficiada com uma das casas, ela conta que o objetivo agora é “recomeçar ao lado dos amigos”. Glória morava no ponto final do Vale do Cuiabá. Além da casa, ela perdeu cinco pessoas da família, incluindo o marido com quem viveu por 40 anos. “O que vivi naquele dia jamais vou esquecer. Mas se estou aqui é por um propósito, por isso vou continuar. Tenho neto e filhos para cuidar”, reforçou. Na nova casa, Glória vai morar com a filha, o genro e o neto de 16 anos.

A seleção dos beneficiados, de acordo com os responsáveis pelo projeto considerou os seguintes critérios: família ser moradora do Vale do Cuiabá na época da tragédia; perdas humanas e materiais na família; capacidade de recuperação da família; renda da família; existência de filhos com necessidades especiais. Após a seleção das famílias, foi realizado, no dia sete, um sorteio para a definição da ocupação das residências. Na mesma ocasião, ocorreu o processo legal de transferência de titularidade das unidades construídas, do Instituto da Criança para os novos proprietários, sem custos para qualquer uma das famílias beneficiadas. Em contrapartida, elas não poderão negociar os imóveis pelo período de 15 anos.

Para a dona de casa Joseane da Conceição, de 30 anos, pegar as chaves do imóvel foi um dos momentos de maior felicidade e alegria nos últimos anos. “Já não acreditávamos que isso poderia acontecer. Foi maravilhoso”, contou. Na nova casa, Joseane mora com os três filhos, a mãe e o marido.

Com a entrega das 24 primeiras casas, o Projeto Nosso Cuiabá entra em uma nova fase, que é a ampliação da quantidade de unidades habitacionais. As casas serão construídas pelo governo do estado após o Instituto da Criança ter doado parte do terreno do projeto, cerca de 27 mil m², para que a Secretaria Estadual de Obras construa aproximadamente mais 50 casas pré-fabricadas, totalizando, ao final do projeto, 74 famílias da região contempladas. O presidente do Instituto da Criança, Pedro Werneck, garantiu que irá trabalhar junto com o governo para que o projeto continue e as casas sejam concluídas. Ele também agradeceu o apoio de todos para a conclusão dessa primeira parte do projeto. “Em nome de todos que fazem parte do Instituto da Criança e de empresas parceiras da instituição, agradeço a todos aqueles que, de algum modo, contribuíram para que esse sonho, que parecia improvável, se tornasse possível através do comprometimento, do amor e da união!”, finalizou.

Janaína do Carmo 

Redação Tribuna

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s