DENUNCIA DE DISCRIMINAÇÃO A UMA FAMILIA DE PORTADORES DO VIRUS HIV/AIDS EM MINAS GERAIS

DENUNCIA DE DISCRIMINAÇÃO A UMA FAMILIA DE PORTADORES DO VIRUS HIV/AIDS EM MINAS GERAIS

 

RECEBEMOS ESTE E-MAIL COM MAIS UMA DENUNCIA DE DISCRIMINAÇÃO A UMA FAMÍLIA DE PORTADORES DO VÍRUS HIV / AIDS PARA PRESERVAR AS PESSOAS RETIRAMOS OS NOMES.

Prezados,

recebi hoje esse relato:

Quando faço palestras, as pessoas não acreditam que existe preconceito e discriminação, as pessoas não sabem o que passam as PVHA’s principalmente nos interiores dos nossos estados, onde muitas vezes o coronelismo impera, a falta de informação e vontade do poder público de reverter a situação muito mais.

Conversei a pouco com a assistente social do GRAPPA, e ela disse que irá encaminhar o caso para o MP, a moça está bem, dentro do possível, se encontra hospitalizada.

Fica aqui nossa indignação, iremos fazer um documento assinado pelas 3 redes de MG, destinado ao poder público do município  e faremos tudo que tiver ao nosso alcance para que fatos lamentáveis como esse nunca mais aconteça.

Socializo, pois se faz necessário sabermos o que acontece aos nossos companheiros, e que mais que nunca o movimento se solidarize, pois é na solidariedade que nos fortalecemos.

Obs: exclui as fotos.

Meninas estou arrasada, sabe a …..? mãe da ….. de Brasilia de Minas (foto anexo pra vocês lembrarem) chegou em casa ontem por volta das 19:00 horas e a madrasta dela jogou água fervendo nela fazendo um monte de queimaduras.

Ela me ligou logo cedo dizendo que estava no hospital e eu e a …. fomos pra lá.

Fizemos o BO e corpo delito.

Fomos a SMS de lá e eles nos acompanharam na casa da mulher para conversar com ela, eu não fui, fiquei no hospital com a …. (A…. temia pelo que eu poderia fazer) e sabe o que ela disse pra eles?

que ela tem ódio sim, tem preconceito e que os filhos da ….. não entram na casa dela,até os copos que eles bebem água é jogado fora.

Ainda por cima gritou na rua toda dizendo que ela tem AIDS e que a …. também.

Tudo começou porque a Lilian pediu para o pai dela ficar com o …, o filho de seis anos dela, pra ela viajar e quando chegou ele disse pra mãe que a mulher do pai dela tinha judiado dele e não deu ele comida.

A …. foi até a casa do pai tirar satisfações com a madrasta e a mulher esperou ela com água quente.

A … esta fazendo um relatório e logo amanhã vamos tomar providencias.

O próprio pai da …. esta do lado dela.

Vamos ver se a gente consegue alguma coisa.

Norte de Minas é triste …., muito coronelismo, temo que este crime fique impune.

Se vocês tiver alguma sugestão e poder nos ajudar, agradecemos.

Beijos

VAMOS REFLETIR ?

Como podemos nos silenciar diante de fatos graves ainda presente em nossa sociedade, de preconceito e discriminação ?

Como nos silenciar diante de atitudes que não condizem com a nossa condição “HUMANA” e filhos do mesmo Pai ?

Como nos silenciar diante do sofrimento de tantas pessoas por uma questão que qualquer SER HUMANO esta sujeito a passar por ela…pois somos Humanos e frágeis diante da vida… precisamos pensar na vida como bem maior e de uma vez por todas BANIR da sociedade toda e qualquer forma de PRECONCEITO e EXCLUSÃO…

Como um vírus que a mais de 100 anos a humanidade convive com ele pode ser maior que uma VIDA HUMANA ?

O direito a vida é de todos(as)…somos totalmente contra toda e qualquer forma de preconceito e exclusão…VIVA A VIDA..

Antonio Carlos de Souza Pires (Cal)

Psicólogo responsável técnico e presidente do Grupo Assistencial SOS VIDA,

Secretario geral da REDLACVO+

Sócio fundador da Pastoral da AIDS – CNBB

http://veja.abril.com.br/081008/p_170.shtml

Medicina
Ele tem 100 anos

Pesquisadores traçam a árvore genealógica do HIV e descobrem que o vírus da aids começou a circular entre os seres humanos quase um século antes de a doença virar epidemia


Anna Paula Buchalla

Fotos Michael Kappeler/AFP e SPL/Latinstock
Hábito antigo O consumo de carne de macaco, à venda até hoje nas feiras de Kinshasa, está na origem do surgimento do vírus HIV (em vermelho na foto maior)

A disseminação do vírus da aids começou há cerca de 100 anos, no antigo Congo Belga, hoje República Democrática do Congo, na África.

Essa descoberta sobre o HIV está relatada na última edição da revista científica Nature, em artigo assinado por pesquisadores da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

Eles conseguiram determinar quando e de onde partiu o vírus por meio da comparação genética das duas amostras mais antigas de HIV existentes.

Uma estava congelada desde 1960 e foi coletada do sangue de uma mulher morta em Kinshasa, a capital congolesa.

A outra data de 1959 e foi obtida do sangue de um homem que morava na mesma cidade.

Com essas duas cepas em mãos, os pesquisadores americanos traçaram a árvore genealógica do HIV e chegaram à conclusão de que ambas se originaram de um mesmo hospedeiro humano, que teria vivido entre 1884 e 1924.

Eles até arriscam uma data precisa para o nascimento do vírus da aids: 1908.

“A descoberta pode nos ajudar a entender como se deu a disseminação da doença”, disse Michael Worobey, o principal autor do estudo.

A teoria mais aceita pelos cientistas é a de que o HIV surgiu a partir do vírus SIV, encontrado no sistema imunológico de chimpanzés e macacos-verdes.

O SIV é um vírus altamente mutante que não faz mal nenhum a esses animais.

Entre o fim do século XIX e o início do XX, sabe-se agora, ao entrar em contato com o organismo humano, ele sofreu uma mutação e se transformou no HIV.

O mais provável é que essa contaminação original tenha se dado por intermédio de um hábito bastante comum na África: o de comer macacos.

A disseminação do HIV coincide com o crescimento desordenado das cidades da África Central, o que acentuou a falta de higiene e o comportamento de risco de seus habitantes.

Da África, o vírus migrou para o Haiti nas décadas de 60 e 70, levado por cidadãos do país caribenho que haviam trabalhado no recém-independente Congo.

De lá, chegou aos Estados Unidos, provavelmente por meio de um único infectado, em 1969.

Há relatos médicos a partir desse período sobre o aparecimento inexplicável de doenças como o sarcoma de Kaposi, um tipo raro de câncer de pele, e pneumonia, sobretudo entre homossexuais. Em 1981, a aids adquiriu contornos de epidemia e foi identificada formalmente como doença.

Dois anos depois, o HIV foi isolado.

Hoje, calcula-se que existam mais de 40 milhões de pessoas contaminadas no mundo.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s