Dia do trabalhado​r humanitári​o – Shirlei Amaro Avena Weisz neste evento tambem representando o Grupo Assistencial SOS VIDA e a Rede Latino Americana e Caribenha de Ações Voluntarias no Combate ao HIV/AIDS

   sergio-doc.jpg        

Dia do trabalhado​r humanitári​o

     
Em 2005 ingressei no Centro de Informações das Nações Unidas no Rio de Janeiro, onde fiz o curso de UN Volunteer e onde aprendi que o mundo, longe de ser um lugar imenso e hostil, era na verdade pequeno demais.

Ao menos para meus sonhos…e longe de ser um lugar hostil, era um jardim esperando a primavera!
Assim, começou meu caso de amor com a ONU…e desde então, jamais abandonei essa organização que considero minha segunda casa.

Continuo atuando como UN Volunteer, dessa vez no PNUD, e fiquei muito emocionada em reencontrar no dia 19/08, dia do trabalhador humanitário, Valéria Schilling ( Assessora de comunicações do Centro de Informações das Nações unidas ).
Ela como sempre, competentíssima e organizada, nos brindou com um evento magnífico, onde foi apresentado o filme “Sérgio” – dirigido por Greg Barker e produzido pela HBO Filmes e Documentários – uma linda homenagem à Sergio Vieira de Mello, na minha opinião, “talento, vida, poesia, inteligência e simpatia” encarnados em um grande brasileiro.
Sérgio Vieira de Mello, cursou filosofia na Sorbonne, na magnífica Paris (foto anexa)…e ainda jovem, começou a trabalhar na ONU…E, na ONU, foi o grande responsável pela independência do Timor-Leste: ele que recebeu poderes de ditador para colocar a “casa em ordem”, provou que não precisava de tais poderes, e sim, do seu exemplo de homem democrático.
Há oito anos atrás, neste mesmo dia 19 de agosto, “Sérgio” como gostava de ser chamado, foi morto em um atentado covarde na sede das Nações Unidas no Iraque…Sobreviveu horas soterrado, mas lamentavelmente, em seu socorro só havia “uma bolsa de mulher, uma corda e dois homens devotados”. Não foi o suficiente.
Quando ele morreu, como quase sempre nessa pátria que “em leito esplêndido deita e dorme”, o Brasil tomou ciência de que um brasileiro… um dos homens mais importantes do mundo, tinha sido morto em um atentado covarde.
 Um homem que em seu passado, era um exemplo vivo de “amor ao próximo”, “dedicação á causa humanitária”, além de ser o portador de um sorriso contagiante e de uma alma excepcional.
A homenagem que foi prestada à sua memória, teve sede na Maison de France no Rio de Janeiro e teve a presença do Cônsul – Geral da França no Rio de Janeiro Jean-Claudet Moryet, que fez um discurso emocionado.
O evento foi apresentado pelo cônsul geral adjunto da França no Rio de Janeiro Gilles Barrier, que fez questão de estar com cada um dos convidados durante o “vin d’honneur”. Entre os participantes da cerimônia estavam Andrés Ramirez, representante no Brasil do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados; o diretor-executivo do Médico Sem Fronteiras no Brasil Tyler Fainstat e o Coronel Pedro Aurélio Pessoa, comandante para O Centro Conjunto para Operações de Paz no Brasil “Sérgio Vieira de Mello”.
Saliente-se o fato de Sérgio Vieira de Mello merecer todas as homenagens prestadas, não apenas na Maison de France, mas ao redor do mundo. Afinal, o dia 19/08 foi instituído como o  “dia do trabalhador humanitário”, em homenagem ao grande “Sérgio”.
Shirlei Amaro Avena Weisz
UN Volunteer, advogada e jornalista.
voluntaria do nucleo juridico do Grupo Assistencial SOS VIDA

neste evento representando o Grupo Assistencial SOS VIDA e a Rede Latino Americana e Caribenha de Ações Voluntarias no Combate ao HIV/AIDS

 

Foto0236 P8193874P8193868P8193878

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s