Pela primeira vez, cientistas conseguem proteger primatas contra um vírus ‘parente’ do HIV

Vacina contra uma versão de HIV funciona em macacos

 

Pela primeira vez, cientistas conseguem proteger primatas contra um vírus ‘parente’ do HIV

por New Scientist
Editora Globo

Shutterstock

Pela primeira vez, uma vacina teve sucesso em macacos contra a infecção pelo vírus SIV, um variante do HIV, causador da Aids, que ataca os primatas. Dos 24 macacos-rhesus que receberam a vacina, 12 ficaram totalmente protegidos quando entraram em contato com o vírus SIV um ano depois.

A diferença dessa vacina para outras já pesquisadas é a utilização de um vírus inofensivo como hospedeiro do vírus principal. A equipe da Universidade de Ciência e Saúde do Oregon colocou genes do vírus SIV dentro de um outro vírus não perigoso chamado cytomegalovírus rhesus (RhCMV) e só então injetaram o material nos animais. Depois compararam sua eficácia com vacinas convencionais, onde os genes do SIV são colocados dentro de um adenovírus, como aquele que causa a gripe.

>> São Paulo procura voluntários para pesquisa de vacina contra HIV
>> O fim da Aids?

Enquanto a vacina de RhCMV se replicava e estimulava o corpo do macaco a produzir anticorpos contra o SIV durante toda a sua vida, a tradicional apenas se replicou uma vez e desapareceu. O novo método testado mantém o sistema imunológico sempre em alerta, quando uma infecção começa, o organismo é capaz de acabar com ela. Os animais que receberam a imunização tradicional conseguiam lutar contra a infecção no começo, mas depois o corpo cedia.

Antes de iniciar qualquer pesquisa em humanos, os cientistas deverão tentar entender por que a vacina funcionou com total eficácia em apenas metade dos macacos, os outros 12, que também receberam a nova vacina, contraíram o vírus normalmente.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s