Paravidda reinaugura sede e reacende esperança dos soropositivos

Paravidda reinaugura sede e reacende esperança dos soropositivos

Foi com uma grande celebração entre pacientes e voluntários da Ong Paravidda, que a instituição comemorou na manhã desta quinta-feira (14), em Belém, a reinauguração da sede do grupo de apoio ao soropositivos do Estado.

Após um mês de reformas estruturais patrocinadas pelo Governo Federal, Ministério da Saúde, Departamento Nacional de DST/AIDS, o resultado das obras foi comemorado principalmente pelos pacientes atendidos pela casa.

O atendimento ao público será retomado no dia 1° de agosto.

‘A reinauguração do espaço representa um grande momento para todos os que são atendidos e realizam trabalhos aqui na casa. Era um sonho antigo da administração passada que conseguimos realizar depois de muito esforço.

Mas a novidade mesmo é que poderemos atender a mais pessoas’, explica o o presidente da Organização, Jair Santos. Com quase 20 anos de existência, o Paravidda nasceu da iniciativa de um grupo de homens e mulheres portadores do vírus.

Cansados de serem expulsos das casas que alugavam para se reunirem, resolveram invadir e montar acampamento no prédio onde atualmente funciona a ONG, que na época estava abandonado.

O Grupo resistiu e, há 19 anos, mantém a Organização com o apoio do Governo Federal, doadores e sócios que contribuem mensalmente com a casa.

Na casa que foi reinagurada, os pacientes vão poder dispor de uma nova infraestrutura. Os leitos masculino e femino receberam camas e pinturas novas, além de camas e uma cadeira de rodas adaptadas.

As paredes e o piso da casa também receberam novos acabamentos. A mesma coisa aconteceu com a creche para as crianças filhas dos portadores da doença.

A instituição atende às pessoas vivendo com HIV/AIDS, apoiando os pacientes e albergados com assistência social, psicológica e pedagógica, reduzindo a incidência de infecção das DST/HIV, encaminhando-os a rede pública de saúde e acompanhando-os na internação.

A ONG trabalha também a auto-estima dos pacientes, incentivando-os a recuperar o prazer pela vida, prestando atendimento biopsicossocial, palestras socioeducativas, grupos de adesão, ações voltadas à prevenção e, quando há projeto financiado, desenvolve também oficinas e cursos que visam à geração de emprego e renda e à reinserção social.

‘Desde 2006 quando começei a ser atendida aqui na ONG sempre fui bem recebida e estou muito feliz com essa reforma do espaço.

Vai poder ajudar muita gente, dar mais estrutura para as pessoas’, explica Maria Elias, de 32 anos, uma das pacientes soropositivo que são atendidas pela casa.

Atualmente, o Paravidda atende a 22 pessoas no albergue e distribui cerca de 500 cestas básicas por mês aos pacientes atendidos pela instituição.

Além disso, os pacientes contam com outros serviços como consultas médicas, exames laboratoriais, recuperação ou pessoas que sofrem rejeição familiar e, quando necessário, oferece serviços de terapia ocupacional e de atendimento jurídico.

Os filhos dos portadores também são auxiliados no projeto, pois o Paravidda mantém uma creche para cerca de 30 crianças. Atualmente, a ONG conta com um quadro funcional de 14 pessoas, formado basicamente por voluntários, que prestam todo o serviço técnico e de coordenação. O Grupo Para Valorização, Integração e Dignificação do Doente de AIDS – Paravidda foi fundado em 27 de janeiro de 1992, em Belém.

É uma Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos, que presta assistência para pessoas portadoras de HIV/AIDS. Quem deseja se tornar um voluntário do Grupo Paravidda, pode ligar para o telefone: (91) 3272 – 4645.

Aids Em junho de 2011, registrou-se o trigésimo ano de luta da medicina mundial contra o vírus da Aids. Desde a comunicação oficial do primeiro caso, em junho de 1981, cerca de 30 milhões de pessoas perderam a vida, contaminadas pelo vírus HIV. Cálculos do Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids) indicam que 34 milhões de pessoas vivem com o HIV, atualmente, em todo o mundo.

Mas outra informação geral do Unaids desperta esperanças: o número de novas infecções caiu cerca de 25% entre 2001 e 2009.

Redação Portal ORM Fotos: Bruno Magno

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Um comentário em “Paravidda reinaugura sede e reacende esperança dos soropositivos

  1. Meus parabens e um trabalho lindo levar esperança conforto e carinho para os nossos semelhante que Deus abençoe este grupo para continuar expandindo mais e mais com saude e armoniar ..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s