Brasil entrega, para Ban Ki-moon, 56 mil assinaturas de homens pelo fim da violência contra as mulheres

Brasil entrega, para Ban Ki-moon, 56 mil assinaturas de homens pelo fim da violência contra as mulheres

17 de junho de 2011 ·

Brasil entrega, para Ban Ki-moon, 56 mil assinaturas de homens pelo fim da violência contra as mulheres

17 de junho de 2011 · 

Entre as 56 mil assinaturas estão a do ex-jogador Raí, do cantor Sérgio Reis, do ex-presidente Lula e de centenas de autoridades políticas e homens líderes. Iniciativa marca também reforço, no Brasil, da campanha do Secretário-Geral pelo fim da violência contra as mulheres.

Em visita ao Brasil, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, recebeu ontem (16/6), em Brasília, 56 mil assinaturas de homens brasileiros coletadas pela campanha “Homens Unidos pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, liderada pela Secretaria de Políticas para as Mulheres. O abaixo-assinado foi entregue pela ministra Iriny Lopes, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, que reforçou o compromisso do Governo Brasileiro com o fim da violência contra as mulheres e o envolvimento de novos atores, a exemplo do público masculino.

A lista com os nomes dos homens brasileiros vai fazer parte do contador mundial de assinaturas e ações impulsionadas pela campanha do Secretário-Geral “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”. No País, as assinaturas foram coletadas pela internet, numa demonstração do compromisso público de líderes políticos, atletas, artistas e milhares de anônimos com a implementação integral da Lei Maria da Penha e a efetivação de políticas públicas voltadas para a eliminação da violência contra as mulheres. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com a ONU Mulheres, UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas), Instituto Papai, Instituto Promundo e Agende – Ações em Gênero e Cidadania.

Durante o coquetel em homenagem ao Secretário-Geral e sua esposa, a Sra. Ban Soon-taek, foi apresentada a versão nacional da logomarca da campanha “Brasil – UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres” e do site www.onu.org.br/unase. O evento contou teve a presença dos Embaixadores da Boa Vontade da ONU, do Corpo Diplomático e de Representantes do Governo.

Entre 1997 e 2007, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio – índice de 4,2 assassinadas por 100 mil habitantes. Isso corresponde ao assassinato de 10 mulheres por dia no Brasil. Elas morrem em número e proporção bem mais baixos do que os homens (92% das vítimas), mas o nível de assassinato feminino no Brasil fica acima do padrão internacional. As taxas de assassinatos femininos no Brasil são mais altas do que as da maioria dos países europeus, conforme o Mapa da Violência 2010, cujos índices não ultrapassam 0,5 caso por 100 mil habitantes, mas ficam abaixo de nações que lideram a lista, como África do Sul (25 por 100 mil habitantes) e Colômbia (7,8 por 100 mil).

Ministra Iriny Lopes entregou ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, documento com 56 mil assinaturas de homens brasileiros comprometidos com o fim da violência contra as mulheres. Foto: Luiz Godinho/ACNUR

Ministra Iriny Lopes entregou ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, documento com 56 mil assinaturas de homens brasileiros comprometidos com o fim da violência contra as mulheres. Foto: Luiz Godinho/ACNURSecretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ministra Iriny Lopes (SPM) e representantes Harold Robinson (UNFPA) e Rebecca Tavares (ONU Mulheres). Foto: Luiz Godinho/ACNUR

Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, ministra Iriny Lopes (SPM) e representantes Harold Robinson (UNFPA) e Rebecca Tavares (ONU Mulheres). Foto: Luiz Godinho/ACNUR

UNA-SE: uma campanha global

A campanha do Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres, tem por objetivo prevenir e eliminar a violência contra as mulheres e meninas em todas as partes do mundo.

Brasil – UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres

A UNA-SE convoca os governos, a sociedade civil, as organizações de mulheres, os jovens, o setor privado, a mídia e todo o Sistema ONU para unir forças na erradicação do fenômeno global da violência contra as mulheres e meninas. Até 2015, a UNA-SE pretende atingir cinco objetivos em todos os países:

  • Adotar e fazer cumprir leis nacionais para combater e punir todas as formas de violência contra mulheres e meninas.
  • Adotar e implementar planos de ação nacionais multissetoriais.
  • Fortalecer a coleta de dados sobre a propagação da violência contra mulheres e meninas.
  • Aumentar a consciência pública e a mobilização social.
  • Erradicar a violência sexual em conflito.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s