Aids já circularia há mais de 100 anos

Doença foi oficialmente detectada pela primeira vez em junho de 1981
Latinstock
VÍRUS HIV ataca células: perigo desconhecido por 70 anos
O mês de junho marca 30 anos desde o primeiro registro de AIDS – uma síndrome que, se estima, já teria matado 25 milhões de pessoas em todo o planeta. A data do aniversário, no entanto, é arbitrária. O vírus responsável pela doença já estaria circulando em populações humanas há um século. Por que, então, demorou tanto tempo para ser detectado?
Em junho de 1981, médicos estranharam o que seria um novo tipo de pneumonia em cinco jovens homossexuais de Los Angeles. Dois anos depois, a causa de sua imunodeficiência foi identificada. O culpado era um retrovírus que atacava as células de defesa – daí veio o nome vírus da imunodeficiência humana (HIV).
Devido a amostras médicas coletadas 50 anos atrás na atual República Democrática do Congo (RDC), temos, agora, uma ideia de quão antiga é a origem do HIV. Em 1998, pesquisadores encontraram o vírus em uma amostra de sangue de 1959. E, em 2008, o HIV deu as caras novamente – foi detectado em um exame de nódulos linfáticos realizado em 1960 em uma mulher.
Os dois vírus eram sutilmente diferentes, dada a evolução particular de cada histórica. Comparando sua sequência genética, concluiu-se que eles provavelmente divergiram de um ancestral comum entre 1902 e 1921, o que sugere que o HIV nos acompanha desde, pelo menos, este período.
As sequências genéticas também revelam que o HIV difundiu-se da África para o Haiti – provavelmente logo depois da atual RDC conquistar sua independência da Bélgica, em 1960. O vírus teria chegado aos EUA em 1969.
Para Paul Sharp, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, é óbvio que o HIV permaneceu no anonimato por 70 anos. Segundo ele, se a infecção seguiu uma curva exponencial, o centro-oeste africano pode ter sido palco de 4 mil casos já na década de 60.
Ainda de acordo com esta conta, o número de infectados pode ter chegado a 100 mil no ano em que o vírus enfim foi descoberto. É um número que chama a atenção – ainda mais porque, à época, o HIVjá não era mazela exclusiva da África Subsaariana.

Aids já circularia há mais de 100 anos

15 de abril de 2011

Doença foi oficialmente detectada pela primeira vez em junho de 1981

O mês de junho marca 30 anos desde o primeiro registro de AIDS – uma síndrome que, se estima, já teria matado 25 milhões de pessoas em todo o planeta. A data do aniversário, no entanto, é arbitrária. O vírus responsável pela doença já estaria circulando em populações humanas há um século. Por que, então, demorou tanto tempo para ser detectado?

Em junho de 1981, médicos estranharam o que seria um novo tipo de pneumonia em cinco jovens homossexuais de Los Angeles. Dois anos depois, a causa de sua imunodeficiência foi identificada. O culpado era um retrovírus que atacava as células de defesa – daí veio o nome vírus da imunodeficiência humana (HIV).

Devido a amostras médicas coletadas 50 anos atrás na atual República Democrática do Congo (RDC), temos, agora, uma ideia de quão antiga é a origem do HIV. Em 1998, pesquisadores encontraram o vírus em uma amostra de sangue de 1959. E, em 2008, o HIV deu as caras novamente – foi detectado em um exame de nódulos linfáticos realizado em 1960 em uma mulher.

Os dois vírus eram sutilmente diferentes, dada a evolução particular de cada histórica. Comparando sua sequência genética, concluiu-se que eles provavelmente divergiram de um ancestral comum entre 1902 e 1921, o que sugere que o HIV nos acompanha desde, pelo menos, este período.

As sequências genéticas também revelam que o HIV difundiu-se da África para o Haiti – provavelmente logo depois da atual RDC conquistar sua independência da Bélgica, em 1960. O vírus teria chegado aos EUA em 1969.

Para Paul Sharp, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, é óbvio que o HIV permaneceu no anonimato por 70 anos. Segundo ele, se a infecção seguiu uma curva exponencial, o centro-oeste africano pode ter sido palco de 4 mil casos já na década de 60.

Ainda de acordo com esta conta, o número de infectados pode ter chegado a 100 mil no ano em que o vírus enfim foi descoberto. É um número que chama a atenção – ainda mais porque, à época, o HIV já não era mazela exclusiva da África Subsaariana.

Fonte: O Globo

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s