homenagem a Antonio Luiz Chaves Dom, 15 de Maio de 2011

Justa homenagem ao Dr. Antonio Luis Chaves Gonçalves – nome do Pavilhão do Hospital DIP, um medico humano e competente que a muitos anos atua como infectologista em Petrópolis.

Equipamentos modernos e de ultima geração; estamos aguardando a solução a ser apresentada para instalação do elevador – ja aprovado pelo COMSAÚDE, o que ira facilitar o acesso dos pacientes e equipe técnica.

Por ocasião da solenidade de inauguração, foi observado que a Presidente do COMSAUDE, sendo uma autoridade não foi convidada a sentar na mesa de abertura, o Prefeito que fez inumeros elogios a ela…mas o cerimonial cometeu uma grande gafe…tambem não tinha nenhum representante dos USUARIOS(AS) do SUS, SOCIEDADE CIVIL, GOVERNOS ESTADUAIS E FEDERAL ( PARCEIROS NESTA REFORMA ATREVES DO PAM ( Planejamento de Ações e Metas ) …onde esta a participação da sociedade civil ????

Com novas instalações, DIP presta homenagem a Antonio Luiz Chaves

Dom, 15 de Maio de 2011 12:00

Imprimir PDF
A reforma trouxe melhorias para o atendimento pediátrico do DIP, que está funcionando com três leitos. / Divulgação

As novas instalações do Departamento de Doenças Infecto-Parasitárias (DIP), instalado no Hospital Municipal Nelson Sá Earp (HMNSE) já estão em funcionamento. As obras de reforma foram inauguradas sexta-feira, com a presença de cerca de 200 pessoas. O pavilhão também foi rebatizado com o nome do médico infectologista Antonio Luiz Chaves Gonçalves, que atua no DIP há mais de 40 anos e é um dos precursores do atendimento na cidade.
A secretária de Saúde, Aparecida Barbosa, afirmou que “momentos como este nos dão força para o enfrentamento diário e demonstram que a saúde do município está sendo reconstruída. A reforma e a transformação do DIP é uma vitória que o governo oferece para os petropolitanos”.
O médico Antonio Luis agradeceu a homenagem e salientou que “tudo que conquistou foi com a força de Deus e que os pacientes nos fazem renascer a cada dia. Essa homenagem que recebo em vida eu distribuo a todos os funcionários e profissionais do DIP e, principalmente a minha família”.
Participaram da solenidade o diretor geral da HMNSE, Marcus Curvello; o diretor administrativo do HMNSE, Nilson Wayand; os vereadores João Tobias, Thiago Damaceno e Marcio Muniz; a diretora da Fase, Maria Isabel de Sá Earp Resende Chaves; o diretor da Unimed, Paulo Cesar Guimarães e a coordenadora do programa DST-Aids, Maria Inês, além de secretários municipais e demais autoridades.

DIP recebe diversas melhorias

O DIP é uma das poucas unidades hospitalares do país a contar com o filtro HEPA, construído com molduras de diferentes materiais e capacidade para aplicações de uso específico, como os ambientes hospitalares. O aparelho provê o ar livre de contaminantes exigidos em muitas aplicações e oferece o mais alto nível de filtração de ar disponível. Na reforma do prédio foram investidos R$ 300 mil. O imóvel não recebia nenhum tipo de reparo há mais de 20 anos e estava totalmente depreciado. Devido ao péssimo estado de conservação e à falta de materiais básicos, como pias e chuveiros, o DIP não funcionava plenamente.
A partir das melhorias estabelecidas pelo prefeito Paulo Mustrangi, o setor que realiza em média o atendimento de 30 pacientes por dia, disponibilizará para a população 21 leitos de internação, sendo seis de isolamento, três de pediatria e 12 enfermarias. Ao realizar as melhorias, o objetivo do governo municipal foi humanizar o espaço e o atendimento aos pacientes. As obras foram iniciadas no ano passado com verbas do Plano de Ações e Metas do Ministério da Saúde, repassadas à Prefeitura de Petrópolis por meio do DST-Aids. O DIP é referência no Estado do Rio de Janeiro para o tratamento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Sida) como a doença é conhecida no Brasil, causada pela destruição do sistema imunológico pelo vírus H.I.V. O DIP trata também de doenças como tuberculose, meningite e leptospirose, e abriga a coordenação do DST-Aids.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s