Grupo SOS Vida ficará sem sede a partir de 15 de maio

Grupo SOS Vida ficará sem sede a partir de 15 de maio

Seg, 09 de Maio de 2011 16:32  www.e-tribuna.com.br
Imprimir PDF
A sede do Grupo funciona em uma sala da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, que vai entrar em obras a partir do dia 15.

O Grupo Assistencial SOS Vida, fundado em 1998 na cidade fluminense de Petrópolis para ajudar pessoas com HIV e aids, precisa urgente de uma nova sede. O local onde funciona a entidade pertence à Paróquia do Sagrado Coração de Jesus e entrará em obras a partir do dia 15 deste mês.
Em entrevista ao jornal Tribuna de Petrópolis, o presidente do SOS Vida, Antônio Carlos de Souza Pires, disse que os atendimentos médicos especializados e de terapias alternativas, além da distribuição de refeições, terão que ser interrompidos, caso não seja encontrado um novo espaço para abrigar o grupo. “Estamos desde março buscando junto às autoridades uma melhor forma de solucionar esta dificuldade sem paralisar nossos serviços de atendimento, mas ainda não conseguimos resolver a questão”, comentou.
De acordo com Antônio Carlos, o problema mais grave é com a medicina especializada, onde um cardiologista realiza as consultas à população. Cerca de 70 pacientes são atendidos pela instituição. “Infelizmente não vamos ter como manter este serviço. Estamos muito tristes com esta situação”, lamentou.
Além dos pacientes de cardiologia, outras 20 pessoas deixarão de receber a alimentação oferecida pela entidade. “Sem um local apropriado, não vamos poder continuar a oferecer as refeições”, comentou.
Mas, segundo Antônio Carlos, os atendimentos psicológicos continuarão acontecendo, mesmo após o fechamento da unidade. As consultas serão realizadas no seu consultório particular, localizado na Rua Bernardo Proença, 156, no Itamarati. “Os pacientes não precisam ficar preocupados. O que é importante deixar claro é que o SOS Vida não acabou. Estaremos provisoriamente sem uma sede, mas continuaremos dentro do possível com algumas atividades”, frisou.
Além do acompanhamento psicológico, os serviços de assistência social e a parte administrativa serão mantidos. Esses atendimentos acontecerão nas casas dos diretores e membros da entidade.
De acordo com o Presidente do SOS Vida, o governo municipal, os vereadores e até deputados estaduais e federais já foram procurados, mas ainda não foi possível encontrar uma solução definitiva para o problema.

Fonte: Agência de Notícias da Aids
 
 
 

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s