BOLETIM DA PASTORAL DA AIDS – CNBB / RELIQUIA NUMERO 1 – MARÇO DE 2002

 

Março/2002– Ano I – N° 1


Editorial
A Igreja e seu compromisso com os doentes de Aids
ReflexãoPalavra do Bispo Referencial
LogotipoSignificado do Logotipo da Pastoral de DST/Aids-CNBB
HistóricoHistórico da Pastoral de DST/Aids-CNBB
Notícias Reuniões da Coordenação Nacional Capacitações pelo Brasil

EDITORIAL

“A Igreja católica segue afirmando, com seu magistério, o seu compromisso ao lado dos doentes de Aids, o valor sagrado da vida. O esforço que realiza, tanto na prevenção como na assistência às pessoas infectadas, muitas vezes em colaboração com as instituições das Nações Unidas, inscrevem-se no marco do amor e do serviço à vida de todos, desde a concepção até o seu ocaso natural”. (Carta de JOÃO PAULO II a KOFI ANNAN, secretário geral da ONU, disponível no site www.esiglesia.org no dia 08 de janeiro de 2002).
A Igreja do Brasil, respondendo a esta orientação e aos apelos de Deus que se manifesta na voz dos mais sofridos, está organizando um serviço específico que atua na área de prevenção e assistência: é a Pastoral de DST/Aids.
O presente Boletim pretende ser um veículo de comunicação desta Pastoral recém chegada. E como tudo começa pequeno, esperamos que cresça a Pastoral, as iniciativas eclesiais na luta contra a Aids e possa crescer também o Boletim para partilhar esta caminhada.
A comunicação tem sempre duas vias. Ao mesmo tempo que você recebe informações lendo o Boletim, tem nele espaço para partilhar sua prática e caminhada. Este instrumento será trimestral e quer ser a voz das práticas da Igreja no mundo da Aids.

Voltar

PALAVRA DO BISPO REFERENCIAL

Agradeço à Coordenação Nacional da Pastoral de DST/Aids pelo seu primeiro boletim. Através deste instrumento de comunicação, queremos partilhar nossas experiências na luta contra o vírus da Aids e no acompanhamento dos soropositivos.
Queremos continuar a missão de Jesus que “passou fazendo o bem!” Nossos preferidos são aqueles que mais sofrem.
Pretendemos colaborar com todas as pessoas de boa vontade que lutam pela vida. “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”, disse Jesus.
Sabemos dos desafios que este trabalho pastoral traz. Mas não queremos fugir das nossas responsabilidades. Com S. Paulo, queremos dizer: “Deus não faz acepção de pessoas” e ainda “Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam”.
Desejo à Coordenação Nacional da Pastoral de DST/Aids um trabalho frutuoso em defesa da vida e a esse boletim “vida longa”.

Dom Eugênio Rixen
Bispo de Goiás (GO)
Presidente da Comissão Nacional da Pastoral de DST/Aids

Voltar


LOGOTIPO

A Pastoral de DST/Aids é uma realidade nova, que está sendo criada. O logotipo deveria expressar algo dinâmico, com linguagem atual, clara, leve e direta.
O logotipo foi construído num processo participativo. Aline Heinzelmanm, assessora de marketing, voluntária da Casa Fonte Colombo, depois de compreender a missão e os objetivos da referida pastoral, apresentou o primeiro esboço, que foi socializado com a coordenação nacional e é agora apresentado em versão definitiva.
Segundo Aline, o logotipo une, dinamicamente, dois grandes símbolos de solidariedade: a cruz e o laço. Seguindo o exemplo de Jesus, que se solidarizou universalmente com a humanidade, assumindo a cruz (Ele tinha a condição divina e a ela não se apegou ciosamente, mas esvaziando-se a si mesmo, assumiu a condição de servo e se entregou para a elevação de todos), a igreja, assumindo o laço da luta contra a aids, se faz solidária com uma parte concreta da humanidade. O logo tipo pretende expressar o engajamento, a responsabilidade e o compromisso da igreja na luta contra a aids e na solidariedade com os soropositivos-HIV, além de representar também, as práticas da igreja na área da prevenção, da assistência, do acompanhamento, da acolhida, ou seja, é expressão da abertura da Igreja para o engajamento da na luta contra a Aids.

Voltar

Histórico da Pastoral de DST/Aids

A epidemia da Aids é uma realidade desde 1980. Muitas pessoas, organizações e setores da sociedade empenham suas energias, há muitos anos, no controle da epidemia. Esta realidade e a necessidade de envolver um número sempre maior de forças para lutar contra a doença aproximou também o Ministério da Saúde e a Igreja com a finalidade de contribuir na luta contra a epidemia. Segundo relato de Liandro Lindner, “o primeiro contato foi efetuado através de uma reunião entre o presidente da CNBB, Dom Jaime Chemelo, e o coordenador nacional de dst/aids, Pedro Chequer e o chefe do gabinete do ministro da Saúde, Octávio Mercadante, com o Ir. Henrique de Sá onde foi debatido a intenção de se criar uma comissão da Igreja Católica destinada a catalisar os trabalhos relativos a aids”.
Em 27.03.99 a comissão técnico cientifica da Pastoral da Saúde Nacional criou uma comissão para acompanhar a problemática da aids. A comissão seguiria as linhas da pastoral da saúde e se dedicaria à assistência e educação preventiva contra a Aids.
No ENONG de Belo Horizonte(MG), abril de 1999, houve o primeiro anúncio oficial da criação da comissão.
A primeira reunião ocorreu em 27.05.99, em Brasília, com os membros da comissão, que foram apresentados ao presidente da CNBB, Dom Jaime Chemelo, e ao bispo da Pastoral Social, Dom Jacyr Braido. Posteriormente se reuniram com a área técnica da Coordenação Nacional para organizar um encontro reunindo as diversas ONGs.
A Comissão organizou o encontro denominado Oficina de Articulação Solidária, que ocorreu em Brasília entre 01 e 03 de agosto de 1999.
Foi esta mesma Comissão que organizou e realizou o 1º Seminário “Aids e desafios para a Igreja do Brasil”, de 12 a 15 de junho de 2000, em Itaicí, que reuniu o Ministro da Saúde José Serra, o Coordenador Nacional das Políticas de DST/Aids Paulo Teixeira, o Coordenador Adjunto Raldo Bonifácio Costa Filho, o presidente do Pontifício Conselho da Saúde e representante do Papa, Dom Javier Barragán, o arcebispo emérito de São Paulo, cardeal Paulo Evaristo Arns, o representante da CNBB, Dom Eugène Rixen, além de religiosos, religiosas e lideranças do movimento de Aids de todo o Brasil, direta ou indiretamente ligadas à Igreja.
O caminho continuou com reunião de representantes de trabalhos de Aids (março de 2001 – Brasília), onde se optou pela organização de uma equipe representativa dos cinco grandes regionais da CNBB (macro-regiões), além do bispo referencial, um secretário executivo e um assessor nacional, ficando assim constituída: Dom Eugène Lambert Adrian Rixen – Bispo Presidente; Alberto Marques de Souza, Secretário Executivo e Coordenador da Macro Regional Nordeste; Catarina Pereira de Figueredo, Tesoureira e Coordenadora da Macro Regional Centro-Oeste; Maria Cecícila Koerbes, Coordenadora Macro Regional Norte; Antônio Carlos Souza Pires, Coordenador Macro Regional Leste; José Roberto Pereira, Coordenador Macro Regional Sul; Frei Luiz Carlos Lunardi, Assessor Nacional. O Conselho Fiscal escolhido foi: Maria Valdicélia Cavalcante Lopes , Fátima Barbosa da Silva e Tânia Maria Bezerra Façanha
Esta equipe continuou o trabalho de organização, desvinculando a Comissão da Pastoral da Saúde e encaminhando a legalização da Pastoral de DST/Aids, com estatuto, sede, regimento, secretaria e coordenação própria.
Considerando que a pastoral existe de fato na base, nos locais de atendimento, nas entidades especificamente ligadas à luta contra a Aids, onde acontece o trabalho eclesial de prevenção e assistência, a equipe de coordenação decidiu apostar na organização dos regionais, estimulando a realização de cursos de capacitação para agentes de pastoral, bem como a organização de equipe de coordenação das macro-regiões. Esta organização pretende viabilizar um Plano de atividades conjuntas, que possam dar organicidade e visibilidade às práticas da Igreja no mundo da Aids, bem como qualificar os agentes que atuam neste serviço.
O próximo passo previsto para outubro de 2002 é a realização da Assembléia Nacional, reunindo representantes dos regionais que estejam envolvidos em práticas eclesiais de assistência e prevenção, coordenadores das macro-regiões e coordenação nacional para aprofundar a missão e a contribuição específica da Igreja na contenção da epidemia e na assistência. A assembléia também se preocupará em esboçar respostas para as conflitivas questões geradas nesta área. Na mesma ocasião acontecerá o lançamento do livro que recolhe os primeiros elementos desta discussão e apresenta algumas práticas da Igreja no campo da Aids.

Voltar

NOTICIAS

MACRO-REGIÃO NORDESTE ORGANIZA PASTORAL

Nos dias 06 e 07 de outubro estiveram reunidos em Olinda 16 representantes dos regionais do Nordeste e três convidados para um curso de capacitação e organização da equipe de coordenação daquela macro-região. Depois de um levantamento da realidade da Aids e dos trabalhos realizados no âmbito eclesial, os participantes refletiram sobre os objetivos da Pastoral de DST/Aids, discutiram critérios para trabalho conjunto e organizaram uma equipe que animará todo o regional, que é sede da secretaria nacional da Pastoral.

SECRETARIA DA PASTORAL

Desde outubro de 2001, a Pastoral de DST/Aids tem sua secretaria funcionando em Fortaleza, Av. Dom Manuel, 03 – Centro – 60001-970. O telefone é 85 2193461. Trabalham o Secretário Executivo Alberto Marques de Souza e a secretária Tania Façania. Informações e orientações para vinculação com a Pastoral pode-se obter no endereço acima.

CAPACITAÇÃO DE AGENTES DE PASTORAL NO RS

Nos dias 08, 09 e 10 de dezembro de 2001 realizou-se o curso de capacitação para agentes de pastoral em DST/Aids com 60 participantes. Além da sensibilização de lideranças da Igreja para a problemática da Aids e das pessoas que vivem com HIV, profissionais repassaram informações básicas sobre a doença. Na ocasião constituiu-se a equipe de coordenação com representantes das dioceses presentes e escolheu-se o coordenador regional da Pastoral de DST/Aids, Frei José Bernardi.

PLANEJAMENTO DO REGIONAL SUL III

A equipe de coordenação da pastoral de DST/Aids do Regional Sul III realizou a primeira reunião no dia 09 de março, na Casa Fonte Colombo. Além de retomar os compromissos assumidos no final do encontro de capacitação de dezembro, a equipe discutiu e organizou um novo curso. Ele será realizado nos dias 17,18 e 19 de maio, em Porto Alegre, coincidindo com a celebração da Vigília pelos mortos por causa da Aids. Pretende-se que os participantes do curso integrem-se às atividades da Vigília, que também será organizada pela equipe.

REUNIÕES DA COORDENAÇÃO NACIONAL

A coordenação da Pastoral de DST/Aids esteve reunida nos dias 31 de janeiro a 04 de fevereiro, em Fortaleza. Além do estudo de alguns textos, a equipe discutiu e aprovou o estatuo da Pastoral, bem como elegeu formalmente a sua diretoria, encaminhando o processo de legalização da Pastoral. Toda a discussão, no fundo, girou em torno da identidade da Pastoral, suas ações, a possibilidade de uma pauta de atividades em âmbito nacional.
A próxima reunião da Coordenação Nacional está marcada para os dias 10, 11 e 12 de maio, em Brasília. A preparação da Assembléia e a organização dos regionais serão os temas principais da reunião, que também aprofundará a mística da Pastoral, estratégias de prevenção e assistência aos soropositivos-HIV e a contribuição específica da Igreja no campo da Aids.

CAPACITAÇÃO NA MACRO SUL

Nos dias 12, 13 e 14 de abril, na sede do CEFRAN, acontece o encontro de capacitação de agentes de Pastoral de DST/Aids e organização da Macro-regional Sul. Está prevista de representantes dos quatro regionais, do bispo referencial e do assessor nacional da Pastoral.

ASSEMBLÉIA NACIONAL

Marcada para os dias 25 a 27 de outubro de 2002, reunirá representantes dos regionais que estão organizando equipe de coordenação e plano de ação. Pretende aprofundar a missão da Igreja no serviço de prevenção a Aids e no acolhimento dos portadores do HIV. A Assembléia acontecerá na Casa de Encontros das irmãs de Jesus Crucificado, em Goiânia.

Voltar

Expediente
Boletim da Pastoral de DST/Aids da CNBB.
Ano I , nº 01, março de 2002.
Tiragem: 2000
Av. Dom Manuel, 03 – CENTRO
60001-970 – FORTALEZA (CE)
fone: 85 2193461
pastoraldstaids@hotmail.com
Distribuição Gratuita.
Pedidos à Secretaria, no endereço acima.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s