Reflexões sobre a liturgia do 2º domingo da Páscoa – FREI DEIVI SANTANA

Reflexões sobre a liturgia do 2º domingo da Páscoa.

 

1ª leitura: Atos dos Apóstolos 2, 42-47

2ª leitura: Primeira Carta de São Pedro 1, 3-9

Evangelho: São João 20, 19-31

            Neste 2º domingo da Páscoa a Palavra de Deus nos revela, no Santo Evangelho, a grande novidade: nosso Senhor aparece RESSUSCITADO aos seus discípulos.

            Situação: eles estavam, a portas fechadas, numa casa e com medo dos judeus.

            Podemos imaginar a alegria que deve ter brotado no coração dos discípulos ao verem seu Senhor VIVO! Para confirmar que não era um fantasma, Jesus lhes mostra suas chagas e confirma: era o mesmo que conviveu com eles até a morte na cruz. Mas este mesmo tem algo diferente ao mesmo tempo: como pode alguém entrar num lugar que estava todo trancado? Podemos ver aqui a novidade de estar vivo: Jesus revela a vida de ressuscitado, a vida divina, que ultrapassa qualquer limite ou condicionamento físico. Eis a Boa-Nova! A morte não é nosso fim! Se há pessoas ou sistemas que queiram oprimir o projeto de Deus na história humana, essas pessoas ou sistemas foram derrotadas! O poder de Deus e a vida falaram mais alto!!! Por isto brotou a alegria no coração dos discípulos (e deve brotar no nosso também): não estamos sós, Deus está conosco.

            Depois nosso Senhor oferece a paz aos discípulos; paz que tanto almejamos, mas que só Deus pode nos dar VERDADEIRAMENTE. Porque brotará no fundo dos nossos corações e não será nada imposto de fora para dentro, muito menos sob o uso de armas…

            Após esta contemplação da presença real de Cristo vivo no meio deles, eis que surge uma missão: Jesus os envia como o Pai o enviou. A comunidade que estava fechada com medo, agora é convocada a sair dali, com alegria, para anunciar a todos o que eles estavam tendo a graça de contemplarem com seus próprios olhos! Devem sair pelas ruas e anunciarem esta Boa-Nova. Em outras palavras: o próprio Deus, na pessoa de Seu Filho, quer que o ser humano ANUNCIE, TESTEMUNHE, FALE, ESPALHE a ressurreição de Jesus. Vemos aqui o nascimento da Igreja: comunidade de pessoas que testemunharam Cristo com seus próprios olhos agora tem que anunciá-Lo. É a Igreja que Cristo cria: a Igreja Católica, que, pelo próprio Jesus recebeu este encargo. E para garantir esta missão, Jesus lhes sopra o Espírito Santo… o mesmo Espírito que Jesus recebeu e viveu para realizar sua missão salvífica, agora Ele doa aos apóstolos para que continuem a mesma missão que Ele. Como?

a)      perdoando ou não os pecados: são perdoados aqueles que acolhem o projeto de Jesus em suas vidas e não mais vivem coniventes com um sistema injusto, opressor, que quer impedir que o projeto de Deus aconteça na história humana. Não serão perdoados aqueles que não acolherem… que forem indiferentes…

Outro ponto: podemos ver aqui e de forma clara a base para o Sacramento da Reconciliação que a Igreja nos oferece. Podemos ser indiferentes a isto? Por que relativizar esta graça que Deus nos dá na Igreja?

b)      anunciando-O como Ele mesmo pediu que fizessem. A essência da missão da Igreja é anunciar Cristo e realizar seu projeto.

E é isto que a Igreja começa a fazer quando anuncia a Tomé, que não estava presente naquele momento: anunciar nosso Senhor Jesus vivo: “Vimos o Senhor”. Maravilha maior não há, pois cabe ao ser humano somente acolher o anúncio dos amigos e acreditar! Mas a fragilidade humana aparece aí. Tomé só acreditará se ele mesmo vir e tocar nas chagas de Jesus. Por que não acreditou no testemunho de seus amigos? Por que não acolheu a missão que a Igreja já estava realizando, que é ANUNCIAR Jesus? (levemos em consideração que os apóstolos já haviam perdido o medo e saíram pelas ruas para falar de Jesus. Aqui, Tomé poderia ter contemplado a mudança na vida de seus companheiros…). Mas isto não foi o suficiente, como ainda hoje não é suficiente para muitos a Igreja falar de Jesus. Por que tantos ouvem e tão poucos acreditam? Por que temos dificuldades em acreditar no testemunho de alguém, principalmente se há uma mudança de vida na vida daquela pessoa? Por que temos que querer VER e TOCAR se o próprio Jesus já fez isto diante de algumas pessoas e pediu a estas mesmas para espalharem isto… Irmãos e irmãs: acreditemos no testemunho de tantos fiéis, sacerdotes e religiosos que embelezam a Igreja de Cristo com seu anúncio. Afinal, Jesus exalta aqueles que ACREDITAM SEM TEREM VISTO!!! O sinal maior já foi dado, o milagre maior já foi realizado e nosso Senhor escolheu alguns para espalharem isto. Precisamos de mais sinais? Precisamos de mais milagres? Precisamos de mais curas? Precisamos de mais exorcismos? Por que não fazemos como os apóstolos que SIMPLESMENTE acolheram esta Boa-Nova e isto foi o suficiente para que a transformação acontecesse em suas vidas: do medo passaram para a alegria. O mesmo acontecerá conosco hoje: milagre, cura, libertação acontecerá se simplesmente acolhermos o anúncio dos apóstolos e da Igreja.

      Daqui podemos passar para a Carta de São Pedro: ele bendiz a Deus por tudo isto! E diz que nossa esperança deve ser renovada pois já temos a nossa herança reservada: a vida de ressuscitados como Cristo nos mostrou! A morte não é nosso fim. Deus nos dá como herança a vida eterna!!! Bendigamos a Deus também hoje com nossas vidas! E é esta certeza que faz brotar alegria dentro de nosso ser, até mesmo para passar pelos conflitos e aflições que São Pedro já nos exorta.

      E falando um pouco da primeira leitura, podemos identificar aspectos que constituem a Igreja que Cristo criou:

a)ouvir o ensinamento dos apóstolos – é o que vai dar sentido à Igreja, pois é o anúncio da ressurreição de Jesus que faz brotar em nós a fé para nos reunirmosem comunidade. Apartir da Palavra de Deus nos alimentamos para continuar anunciando o Cristo ressuscitado e assim cumprir o seu envio dado aos apóstolos. A nossa Igreja Católica realiza istoem cada CelebraçãoEucarística;

b)viver na comunhão fraterna – os cristãos viviam unidos e colocavam tudoem comum. Assimpassavam a viver como irmãos, em fraternidade e socorrendo aqueles que nada possuíam. É o que nossa Igreja realiza quando nos reunimos para a Santa Missa, por exemplo, em que nosso ser família cristã se torna mais visível. Sem contar os movimentos e pastorais que se preocupam em oferecer alimentos, remédios, roupas (ou algo mais) para nossos irmãos que estão necessitados.

c)na fração do pão – expressão que nos remete à Eucaristia. Como o próprio Senhor disse: “Fazei isto em memória de mim”.Em nossa Igreja, temos a graça de todos os dias, no mundo inteiro, realizar-se a fração do pão, onde o Corpo e Sangue de nosso Senhor é partilhado para os que acolhem a Boa-Nova.

d)nas orações – sabemos que a Eucaristia é fonte e ápice de nossa vida de oração. Sem contar as inúmeras formas de oração que nossa Igreja nos oferece, seja pela própria Sagrada Escritura, seja pelas devoções que foram surgindo ao longo da história da Igreja.

Como podemos ver, estes 4 aspectos que CONSTITUEM a comunidade cristã primitiva são os mesmos que CONSTITUEM a Igreja Católica ao longo dos séculos. A Igreja é fruto do Cristo Ressuscitado e é esta certeza que a Palavra de Deus nos dá, que deve fazer com que, neste 2º domingo da Páscoa, possamos amar mais a Igreja Católica.

Quer encontrar Cristo? Não creio que mudar de Igreja seja a solução…

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s