O director da saúde no Kuando Kubango, Fernando Cassanga, aconselhou hoje, sábado, os jovens da província a absterem-se do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, com vista a evitarem a prática da criminalidade.

http://www.aids.gov.br/pagina/noticias-e-midias

 

 

ANGOLA PRESS |

AIDS | CAMISINHA | CONTRACEPTIVOS

24/04/2011

Responsável aconselha jovens a absterem-se do consumo de bebidas alcoólicas

Menongue – O director da saúde no Kuando Kubango, Fernando Cassanga, aconselhou hoje, sábado, os jovens da província a absterem-se do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, com vista a evitarem a prática da criminalidade.

Segundo o director, muitos jovens chegam a praticar crimes como a delinquência juvenil, a sinistralidade rodoviária, que tem provocado mortes e muitos feridos, furtos e roubos de carros, em função da influência do álcool e outras drogas.

Fernando Cassanga sublinhou que a juventude angolana e em particular a do Kuando Kubango não pode aceitar este tipo de grupo de jovens que assim vive influenciando os outros, mas sim engajar-se na prática do desporto, apostar na formação académica, pesquisa (Internet), leitura em tempos livres entre outras acções positivas.

Igualmente defendeu a necessidade da juventude apostar na luta contra o HIV/SIDA, porque as pessoas utilizadoras de drogas constituem-se num vector da pandemia, proliferando a doença, simplesmente prevenível através do uso do PRESERVATIVO, abstenção e fidelidade.

Tudo isto acontece quando a pessoa perde consciência de si, em função do uso excessivo de bebidas alcoólicas, querendo apenas satisfazer o momento oportuno, sem ter as bases de salvamento, como abstinência, fidelidade e o uso da CAMISINHA.

Incentivou a juventude a continuar a se dedicar no programa virado para a juventude, com fim previsto para 30 do mês em curso com um acto de massas na Escola do São Kisito, sita no bairro Tomás, arredores da cidade de Menongue.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s