Tragédia na região serrana do Rio de Janeiro não interrompe tratamento da aids, informam organizações locais – http://www.agenciaaids.com.br/site/noticia.asp?id=16718

http://www.agenciaaids.com.br/site/noticia.asp?id=16718

Tragédia na região serrana do Rio de Janeiro não interrompe tratamento da aids, informam organizações locais

22/02/2011 – 15h30

As fortes chuvas que ocorreram em janeiro deixaram milhares de desabrigados e quase 900 mortos na região serrana do Estado do Rio de Janeiro. A catástrofe, entretanto, não provocou a interrupação no tratamento das pessoas vivendo com HIV e aids nas cidades afetadas, segundo organizações que atuam na área.

Antonio Carlos de Souza Pires, do Grupo SOS Vida, de Petrópolis, explicou que os pacientes que perderam suas casas e ainda estão em abrigos passaram a receber os medicamentos diretamente onde estão instalados. “Técnicos da Prefeitura visitam essas pessoas para auxiliar no tratamento e voluntários prestam apoio psicológicos”, contou.

Em Nova Friburgo, Aparecida Bradino, do Grupo Amigos da Vida, garante que o acesso ao tratamento não foi afetado. “Até as cestas básicas de alimentos que distribuímos às famílias das pessoas com HIV e aids estão sendo entregue normalmente”, disse.

Já em Teresópolis, a coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids, Maria de Fátima, ressaltou que a maior preocupação é com o trauma emocional da população. “As pessoas portadoras do HIV estão chegando ao serviço de saúde muito abaladas”, comentou. “Mas aqueles que perderam a medicação devido ao soterramento de suas casas já receberam novos remédios”, acrescentou.

Talita Martins

Dicas de entrevista:

Programa Municipal de DST/Aids de Teresópolis
Tel.: (0XX21) 2742-9883

Grupo SOS Vida
Tel.: (0XX24) 2245-0322

Grupo Amigos da Vida  – Tel. (0XX22) 2533-0089

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s