S O S VIDA – O caminho da solidariedade ! BANCO DE HORAS DO SOS VIDA Dr. Dinizar de Araujo Filho

S O S   VIDA  – O caminho da solidariedade !

Os caminhos que Deus escolhe para desenvolver o processo de reorganização dos rumos da humanidade são diversos estranhos, surpreendentes e maravilhosos.

Os eleitos por Deus para peregrinação tão eloqüente e cheia de significados passam a carregar cada um sua cruz, talvez não dimensionando inicialmente o papel para o qual foram escalados para essa  “Divina Comédia da Vida”, mas os dissabores e lutas dessa jornada os coloca entre duas opções: Abandonar a empreitada e se tornar mais um a lamuriar e praguejar, ou então, mesmo sem inicialmente compreender o porque de tal chamada, se integrarem cada vez mais,  confundindo a posição de personagem, ator, ou diretor de tão grandioso processo.

Os caminhos do S.O.S. Vida , cruzaram tais terrenos e produziram uma experiência enriquecedora  e gratificante para todos os envolvidos.  A ótica desenvolvida por seus gestores conseguiu ser inovadora dentre modelos que objetivavam serem de vanguarda.

O processo de envolvimento da Sociedade para uma participação global conseguiu sustar o estigma  que sempre sombreou as ações das entidades de filantropia, que com suas inegáveis contribuições, dificilmente conseguem desenvolver um trabalho de mudança das consciências, ficando os resultados  restritos a uma superficial ação caritativa purgatória.

Sem consciência não existe educação, sem educação não existe aprimoramento humano, sem humanismo não há transformação.

A proposta do S O S Vida de trazer para dentro da entidade, profissionais altamente qualificados, que dentro de suas possibilidades oferecem o seu melhor, dentro de seus consultórios serve para dar dignidade ao paciente, e esta interação também tem servido a muitos profissionais que antes desconheciam o “lado humano” de pessoas  ora HIV positivas, ora dependentes químicos, mas sempre  entes humanos que quando tratados sem o desprezo e arrogância do tecnicismo puramente científico que melhor lida com números e estatísticas, podem contribuir na mesma proporção em que são beneficiados.

Não existem pessoas doentes, vivemos em uma sociedade doente,  onde se destacam membros com patologias mais visíveis, mais estigmatizadas, menos estudadas. Doenças que não são menores ou menos danosas que as doenças sociais, e que a insensibilidade que torna-se cada vez mais generalizada.

A proposta do S O S Vida é muito maior que assistencial, que tornou-se fundamental para vida daqueles que puderam dele se beneficiar, mas vem tornando-se em novo caminho e nova fonte de reflexão e aprendizado.

O “Banco de Horas”, é uma   metodologia    moderna que permite que qualquer profissional que queira colaborar, o faça   absolutamente dentro da de sua disponibilidade sem sobrecarga e sem prejuízo para suas atividades regulares.

Constitui-se ainda em oportunidade de aprimoramento técnico, pois todo profissional da área de saúde tem como maior escola  não os livros e revistas ou mesmo os Congressos Profissionais,  mas o aprendizado permanente que ocorre com cada pessoa,  cada paciente, com cada universo interior onde se pode compartilhar a viajem com àqueles que estão redescobrindo a vida.

Este é um novo conceito que  congrega uma nova etapa da assistência voluntária, sem o risco de exaurir àqueles que se propõem a ajudar e ao mesmo tempo proporciona aos atendidos um tratamento condigno.

Os portadores de  HIV bem como os dependentes químicos são pessoas que desenvolvem múltiplas carências e se vêem sujeitos a todas as formas de estigmas. A diversificação do atendimento multidisciplinar  e a maior interação tem propiciado rica experiências paras os profissionais envolvidos pois  aprofunda o processo de reflexão  e resgate do humanismo que a avassaladora luta pela subsistência relega a plano secundário inicialmente ate que poucos resquícios se mantenham dentro da conjuntura social.

Todos ganham com experiências como a desenvolvida pelo S O S  Vida. Em tempos onde a busca pela PAZ mais que nunca necessita ser reavaliada, o caminho de solidariedade proposto renova as esperanças  de aprimoramento de nossa Sociedade.

Dinizar de Araújo Filho

médico neurocirurgião e neurologista

Petrópolis e Rio de Janeiro RJ

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s