PASTORAL DA AIDS – CNBB / www.pastoralaidsorg.br

PASTORAL DA AIDS –  CNBB   

A Pastoral da Aids é um serviço específico da Igreja no contexto da contenção da epidemia e no acompanhamento às pessoas vivendo com HIV/Aids. Desde o início da epidemia a Igreja tem se envolvido com trabalhos de acolhida e solidariedade aos infectados. A Pastoral da Aids está oficialmente organizada desde 2001, hoje atua em todo Brasil com uma coordenação nacional representativa dos 17 regionais da CNBB mais um assessor, um secretário executivo e um Bispo presidente.

    Tem como carro chefe de sua estratégia de organização e expansão e capacitação de agentes de pastoral. Acredita que cada agente pode, após ser capacitado, se tornar um multiplicador de informação completa e segura tanto no aspécto da prevenção quanto no da assistência e acompanhamento.

    A igreja possui mais ou menos 200 organizações em todo Brasil que trabalham especificamente com Aids, entre Centros de convivência, Casas de Apoio, agentes para visitas hospitalares e domiciliares e uma rede de mais ou menos 3000 mil agentes engajados em ações educativas nesta área. Todo trabalho é de pessoas voluntárias.

    Outro aspécto importante é a dimenção de intercâmbios. Este trabalho se dá concretamente no Timor Leste onde há uma parceria entre a Pastoral da Aids, CRS,  Comissão Missionária da CNBB, Congregação das Irmãs Escolares de Nossa Senhora, Programa de Aids do Ministério do Brasil com o Governo Timorense na perspectiva de ajudar na implementação de um programa de prevenção e assistência para aquele país.

    A Pastoral articula uma rede Latino Americana e Caribenha com a participação de 14 países, que se encontram uma vez por ano para troca de experiências e planejamento de ações conjuntas para o continente. Participa de uma articulação de religiosos e religiosas que atuam em Aids no mundo com perspectiva de unificar e planejar suas ações. Contribue com a capacitação de missionários e missionárias que vão para o mundo em trabalhos humanitários bem com os que entram no país para que tenham em seus trabalhos conhecimento e compromisso que permitam contribuir e engaja-se em ações de prevenção e ssistência.

    Outras atividades importantes da Pastoral é a Vigilia pelos mortos de Aids, evento que tem como objetivo, sensibilizar os cristãos para o engajamento e asolidariedade com as pessoas infectadas pelo HIV e com as famílias de pessoas que faleceram de Aids. O Dia primeiro de dezembro, dia internacional de luta contra a Aids, evento mais político e reividicatório onde a Pastoral sai juntamente com as Organizações da sociedade civil reividicando direitos e políticas para melhor atendimento.

A Pastoral tem contribuido muito com a elaboração e divulgação de materiais formativos e informativos distribuídos para os mais diversos grupos, setores sociais e comunidades gratuitamente em todo Brasil. Mantém uma permanente articulação entre os agentes de pastorais sociais para que formem e informem seu público alvo sobre a epidemia, como pega como não pega, como se protegem bem como o que fazer em ocasiões de vulnerabilidade. Organiza um seminário nacional todo ano com um leque amplo de representações para discutir a contribuição da Igreja no trabalho de prevenção as DSts/HIV e Aids.

Os agentes de pastoral tem trabalhado árduamente no aspécto do controle social e das políticas públicas se engajando e participando nas mais diversas instâncias sociais. 

Desta forma a Igreja dá sua contribuição neste contesto através da Pastoral da Aids, serviço aceito e acolhido por todos os bispos em em  Assembleia geral em Itaici 2003 a 2006.  “Serviço de prevenção ao HIV e assistência aos soropositivos: a igreja assume este serviço e, sem preconceitos, acolhe, acompanha e defende os direitos daqueles e daquelas que foram infectados pela Aids. Faz também o trabalho de prevenção, pela conscientização dos valores evangélicos, sendo presença misericordiosa e promovendo a vida como bem maior.”

Frei Lunardi

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s