VEREADOR QUER FIM DE BRIGA ENTRE GOVERNO E INSTITUÇÃO

01/12/2010 Qui, 02 de Dezembro de 2010 11:00 

www.e-tribuna.com.br

No Dia Mundial de Luta contra a Aids, o vereador Samir Yarak (PSC) cobrou uma solução para a divergência existente entre a ong SOS Vida e a Coordenadoria de DST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde. O vereador Wagner Silva (PPS) disse que foram realizadas duas reuniões e o resultado delas foi um pedido de informação feito por ele para a secretária de Saúde, Aparecida Barbosa, onde pede respostas sobre o motivo do atraso ou suspensão do repasse de verba para a ong.

O vereador Wagner disse que se reuniu com diretor do SOS Vida e também com a secretária e a coordenadora do DST/Aids, Maria Inês. “Depois de ouvir as duas partes envolvidas, as dúvidas permaneceram e por causa disto decidi fazer o pedido de informações para que, de posse das respostas, possamos sentar todos e resolver o problema”.

Entre os questionamentos apresentados pelo vereador Wagner está o envolvimento da coordenadora no problema com a ong, os problemas ao projeto da rádio, a distribuição do convênio do Programa DST/Aids entre as ong’s, o encaminhamento de pacientes para os médicos do SOS Vida e também sobre o valor de R$ 60, destinado para compra de um veículo, entre outros. Um dos questionamentos do vereador que causou polêmica foi sobre a moralidade no financiamento de bolsas para participação em congressos.

Sobre este item, os vereadores Marcio Muniz (PSC) e João Tobias (PPS) se manifestaram, frisando que existem determinadas pessoas na Secretaria de Saúde que se utilizam destas bolsas para fazer congressos e participar de curso de mestrado e doutorado, impossibilitando que outros façam. Marcio Muniz disse que seria importante a Secretaria de Saúde informar que critérios são utilizados para fornecer as bolsas.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s