Ato público exige melhorias na saúde do município

Em busca de conseguir uma melhora na qualidade de vida do povo petropolitano, o Fórum da Sociedade Civil em Defesa da Saúde (entidade formada por diversas instituições e classes representativas) promoveu, nesta última quarta-feira, uma grande mobilização apolítica e apartidária, com o intuito de cobrar providências ao governo municipal. Faixas, cartazes, narizes de palhaço e apitos fizeram parte do protesto, que teve início na Catedral São Pedro de Alcântara.

A manifestação ocorreu em diversos pontos do Centro Histórico, como: Câmara dos Vereadores, Avenida Koeller, em frente ao Palácio Sérgio Fadel (onde está localizado o Gabinete do Prefeito, Paulo Mustrangi) e Catedral São Pedro de Alcântara. Cerca de 60 pessoas compareceram à manifestação e acompanharam o movimento.

Para o presidente da SOS Vida, Antonio Carlos de Souza Pires, a iniciativa deve surgir da população. “Como membro do Conselho de Saúde e militante há mais de 20 anos, entendo que a melhor forma da população mostrar sua indignação é cobrar políticas públicas com ações de qualidade. Deve-se ir pra rua, “mostrar a cara” e exigir que se cumpra seus direitos. Os recursos existem, precisam ser fiscalizados, garantindo ações concretas em favor de uma população já tão desacreditada na classe política”, disse o presidente.

Antonio Carlos destaca ainda a importância do povo petropolitano se unir em prol desta melhora na saúde do município. “Somente com união e perseverança iremos conseguir avanços, ainda existem pessoas bem intencionadas no meio político. Precisamos continuar acreditando e fiscalizando”, ressalta Antonio.

As principais reivindicações foram a falta de médicos nos plantões dos hospitais e postos de saúde da cidade; abertura dos postos que permanecem fechados; fim das filas de espera para cirurgias e exames; salários dignos para os profissionais da saúde; respeito aos pacientes renais crônicos; permanência do CTO (Centro de Terapia Oncológica); contratação e solução na questão dos Agentes de Endemias; Correção salarial dos Agentes Comunitários de Saúde; e fim da perseguição aos funcionários da saúde.

Autor:

O Grupo Assistencial SOS VIDA nasceu legalmente em 28 de março de 1998 com o proposito de oferecer apoio e assistência a portadores do vírus HIV/AIDS. Após um ano, Padre Quinha pediu ao fundador que começasse a trabalhar também com Dependência Química. Passados dezesseis anos os atendimentos vão além destas duas patologias, a busca por diversos motivos fez com que a instituição abrisse o leque de atuação – Ir de Encontro com a Necessidade de Quem Nos Procura – que, em sua grande maioria, são pessoas de baixa renda. Os assistidos contam ainda, além dos atendimentos na sede da instituição, com o amparo de profissionais de saúde que atendem gratuitamente em seus consultórios e clínicas.

6 comentários em “Ato público exige melhorias na saúde do município

  1. Notícias
    Nota
    16/04/10
    Esclarecimento sobre a situação dos antirretrovirais no país

    Nos últimos dias, notícias veiculadas sobre o possível desabastecimento de antirretrovirais no país têm causado apreensão aos usuários. Gostaríamos de esclarecer às pessoas que vivem com aids, às redes sociais e aos profissionais de saúde que a situação verificada em algumas cidades foi gerada por redução dos estoques de alguns itens produzidos no Brasil. O Ministério da Saúde assegura que todos os esforços foram feitos para a regularização dos estoques.
    A logística de medicamentos antirretrovirais trabalha com estoques reguladores de no mínimo de 3 meses. Devido a atrasos nas entregas programadas dos medicamentos Lamivudina (3TC) 150mg, Zidovudina (AZT) 300mg + Lamivudina (3TC) 150mg, a quantidade desses antirretrovirais enviados a cada remessa aos estados foi reduzida para garantir a cobertura em todo o território nacional. Isto gerou uma sobrecarga da estrutura logística de distribuição em alguns locais.
    O Ministério informa que há no país disponibilidade de matéria-prima para a fabricação dos antirretrovirais em quantidade suficiente. A distribuição da produção entre os laboratórios nacionais já foi reprogramada, de forma a garantir o abastecimento regular da rede e a recomposição dos estoques estratégicos.
    A redução dos estoques dos medicamentos de produção nacional difere-se do ocorrido com o Abacavir Comprimido de 300mg. O Abacavir é um antirretroviral importado. Diante do atraso na entrega deste medicamento, o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais divulgou, em 14 de dezembro, uma nota técnica orientando a substituição por outros medicamentos. A chegada do Abacavir ao país é prevista para o final da semana que vem e a distribuição acontecerá no fim de abril.
    É importante ressaltar que para prover o acesso universal aos antirretrovirais o Departamento trabalha com a aquisição e a distribuição de 19 medicamentos, totalizando 32 apresentações diferentes, de forma a atender a quase 200 mil pessoas que vivem com aids no país.
    O Ministério da Saúde reitera que todos os esforços de gestão necessários para garantia do acesso das pessoas que vivem com aids aos medicamentos continuarão sendo feitos para que a situação venha a ser regularizada.
    Mariângela Simão
    Eduardo Barbosa
    Diretoria do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais
    Ministério da Saúde

  2. esta sendo um bom começo pois na nossa época agente colocava a cara para bater; agora os militantes n querem dar as caras;mas o importante é agente continua a luta enquanto vivemos,pois s assim venceremos

  3. Paz e Bem!

    Olhei o blog e parabenizo pela iniciativa. Dar visibilidade às ações é fundamental no processo de reconhecimento de uma instituição e o mais importante, mostra para o mundo os feitos e alerta para os descasos.
    Parabéns pela luta em favor da vida com dignidade e respeito aos direitos

    Frei Lunardi

  4. Concordo com o Ato Público, o povo ainda não sabe do poder que tem. Está na hora de todos acordarem e começarem a cobrar o que é de direito, pois o cidadão cumpre com os seus deveres: os impostos, as taxas, os descontos em folhas…É DEVER do Estado em termos uma boa saúde. Onde estão os profissionais de saúde do nosso município em nossas reuniões do Conselho de Saúde? Participem, pois estas reuniões são de grande importância para contribuição das melhorias em nossa cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s